Estão matando a Ficção Científica

Estão matando a Ficção Científica

Sim eu sei parece estranho afirmar isto, mas vamos por partes, veja a lista de filmes abaixo e tente ver um padrão….

Battleship
Men in Black III
Chernobyl Diaries
Piranha 3DD
Prometheus
Safety Not Guaranteed
Seeking A Friend For The End Of The World
Total Recall
Resident Evil: Retribution
Dredd
Looper

Entendeu? Aqui esta o ponto chave em cada um…

Battleship: humanidade condenada por um ataque alien
Men in Black III: viagem no tempo
Chernobyl Diaries: humanos condenados pela ciência
Piranha 3DD: humanos condenados por um peixe pré-histórico
Prometheus: estranhas descobertas em um planeta alien.
Safety Not Guaranteed: viagem no tempo
Seeking A Friend For The End Of The World: humanidade condenada em um futuro pós-apocaliptico
Total Recall: manipulação da mente em um futuro distópico
Resident Evil: Retribution:  a humanidade esta condenada em um futuro cheio de zumbis.
Dredd: humanidade condenada em um futuro distópico
Looper: viagem no tempo

obs: ( a versão original deste post é de 2012).

Viu o padrão? Todos estes filmes a não ser por Prometheus se encaixam em uma de duas categorias: Viagem no tempo ou futuro condenado, pós-apocaliptico/distópico. E por que você deveria se importar? Pelos seguintes motivos:

Viagem no tempo é apenas uma desculpa

Doctor Who

Então eles acharam que era por causa do fator viagem no tempo e não por causa de ótimos diretores e escritores (que foi o caso dos 3 filmes citados por exemplo), foi ai que eles começaram a inserir a viagem no tempo em todo tipo de trama possível, mas não foi isso que matou este ótimo elemento. As coisas realmente deram erradas quando a viagem no tempo parou de ser uma premissa real e se tornou uma simples desculpa.

Em algum ponto Hollywood usou tanto a viagem no tempo que o público acabou se acostumando, então eles passaram a aceita-la  em qualquer tipo de filme/situação. Atualmente a viagem no tempo não é usada como uma incrível premissa da ficção científica, mas uma forma para Hollywood refazer filmes utilizando marcas conhecidas e faturar com isto.

A viagem no tempo agora é a maior responsável pela destruição da franquia Star Trek. A última série baseada no universo de Star Trek (chamada simplesmente de Enterprise), utilizou a fórmula até o ponto em que se perdeu completamente o significado do conceito e os fans começaram a abandonar o show.

Depois de uma pausa eles conseguiram trazer Star Trek de volta, mas apenas ao utilizar a viagem no tempo como uma desculpa para utilizar atores jovens e que agradariam o  público. E Hollywood irá certamente insistir em utilizar a viagem no tempo para arruinar franquias existentes.

Eles irão continuar mudando a linha do tempo do universo de “O Exterminador do futuro” contanto que isto venda ingressos. E agora ainda surgiu a onda de utilizar a viagem no tempo para vender filmes que definitivamente não são ficção para pessoas que normalmente não estariam interessadas. Precisávamos realmente de “A esposa do viajante do tempo”? Hot Tub Time Machine foi engraçado vamos admitir, mas quantos mais destes mashups podemos agüentar?

Terminator: The Sarah Connor Chronicles

Viagem no tempo costumava ser incrível, mas graças ao mau uso se tornou uma idéia cansada, gasta, praticamente um clichê. É um recurso que escritores preguiçosos utilizam para acertar pontas soltas em um filme. É uma forma para economizar dinheiro gravando em velhos cenários do velho oeste.

Isto está matando franquias queridas pelo público e enganando pessoas para elas assistirem comédias românticas, (nada errado com o gênero, desde que você o venda pelo que é). Viagem no tempo não vai ficar melhor do que o que tivemos em “De volta para o Futuro”.

Doctor Who é a única série que ganha carta branca para utilizar este recurso, pois vem fazendo isto desde sempre e de uma forma elegante por assim dizer, mas a menos que você esteja contando uma estória sobre um cara que viaja no tempo em uma cabine azul da polícia simplesmente nem tente começar…..Viagem no tempo se tornou uma desculpa não uma premissa….

A humanidade está condenada ou algum país está a beira do caos

The end…

Nós não tivemos uma única “Space Opera”, ficção espacial, desde o cancelamento prematuro de Stargate Universe, mas a sua telinha continua a ser anfitriã de nada menos que três séries que ocorrem em um futuro  pós-apocaliptico ( Falling Skies, The Walking Dead e a cancelada Revolution) e existem outras a caminho. Até mesmo Terra Nova que parecia algo novo utilizava um futuro distópico em que a humanidade estava condenada como um catalisador para a sua estória de viagem no tempo

A oferta nos cinemas é a mesma, toda ficção parece ter como premissa um futuro que em que a Terra esta condenada ou a sociedade é reprimida e todos têm que lutar para sobreviver ou serem livres. Não é por acaso que um dos Sci-Fi mais populares do ano é The Hunger Games Mockingjay(Jogos Vorazes: A Esperança), que conta a estória de um futuro em que a humanidade esta em pedaços e força crianças a lutar até a morte como um esporte ( o filme é bom por sinal mas ilustra meu ponto).

A questão é que futuros distópicos pós-apocalipticos vendem e vendem bem.

O famoso “estamos todos condenados” costumava ser uma premissa com significado que gerava reflexão como em “O dia depois de amanha” , mas agora é outro clichê. Isto é evidência de que a ficção esta presa em um vicio.

A popularidade deste subgênero é mais um comentário sobre o estado depressivo em que a maioria das pessoas se encontra quando o assunto é o futuro do nosso mundo do que o que elas realmente querem assistir.

Estamos presos por uma insistência de  achar que a humanidade esta condenada e isto esta praticamente se tornando uma realidade de certa forma. Não existe nada que faça as pessoas aspirarem por algo maior ou inspirar a sua imaginação a fazer algo mais do que pensar em um abrigo anti-nuclear mais seguro.

Sei que você deve estar se perguntando, mas e Interstellar ? De certa forma o filme está em uma categoria diferente, mas ainda sim ele utiliza um clima de fim do mundo para a humanidade dar um salto para o futuro.

A esperança

Em 1976 a NASA nomeou o seu primeiro ônibus espacial de “Enterprise”, em homenagem a clássica nave da série Star Trek criada por Gene Roddenberry, uma série que inspirou muitos cientistas a procuraram algo maior. Acredito que nenhum futuro fruto do programa espacial seja nomeado em homenagem a algum personagem, evento ou lugar visto em The Walking Dead( nada contra a série que é muito boa por sinal).

Sejam aliens ou zumbis, quedas de asteroides ou quedas de energia global sem explicação, nós já entendemos o recado. Se a sociedade entrar em colapso e as coisas irem para o lado pós-apocaliptico, a vida vai ser difícil. Não existe mais para onde levar este tipo de futuro….

Predizer o fim do mundo é fácil. Mas e o que acontece se a Terra continuar girando? As possibilidades  de um futuro em que não nos matamos ou forçamos nossos filhos a serem gladiadores são tão infinitas quanto excitantes. Talvez seja hora da ficção científica voltar a explorar estas possibilidades ao invés de usar viagem no tempo para evitar inovação ou desistir e prever nosso fim. Podemos fazer melhor que isto.

A ficção científica está em apuros e não é por falta de filmes ou séries.  Fãs de sci-fi reclamam da falta do gênero na TV, mas a verdade é que existe ficção de sobra na TV. Existe ficção de sobra em todo lugar. O problema? É o tipo errado de ficção.

The following two tabs change content below.

Redação GeekZilla

O GeekZilla é formado por profissionais das areas de Tecnologia, Tradução e Letras e Design.Algumas notícias não refletem necessáriamente a opnião do site a não ser quando declarado expressamente as fontes são externas.