Sua próxima série Sci-Fi, Space Above and Beyond

Sua próxima série Sci-Fi, Space Above and Beyond

A história da TV esta cheia de séries incríveis que duraram apenas uma temporada: shows perfeitamente decentes que por uma variedade de razões não chegaram à segunda temporada. Séries Sci-Fi são um bom exemplo desta rotina, já que exigem muito de quem as faz e de quem as assiste. Os pequenos dramas policiais ou de hospital não são para esta turma. Eles sonham um pouco mais alto do que isso no mundo sci-fi, frequentemente criando universos inteiros, culturas e histórias. Space:Above and Beyond, que apareceu na Fox em 1995, conseguiu por em prática vários destes itens.

Apesar de não ter durado, SAB deixou uma marca considerável na TV e influenciou muito do que veio em seguida.

Ambientada em 2063, a série mostra as aventuras dos Wildcards: um esquadrão de combate que atua no ar, mar e em terra na guerra entre a humanidade e uma misteriosa raça alien apelidada de Chigs. A bordo da massiva nave espacial USS Saratoga, as tropas embarcam em missões excitantes tanto como infantaria, no solo, ou nos seus caças hammerheads.

4744349_l3

Wildcards no episódio Pearly.

A série foi uma criação de James Wong e Glen Morgan, fugindo um pouco da fama do seu trabalho em Arquivo-X . De várias formas SAB é um ótimo exemplo de um sci-fi sutil, já que o formato e narrativa seguem mais a linha de séries militares como Combat! e Tour of Duty do que Star Trek ou Além da Imaginação. Este estilo foi seguido mais tarde – de forma eficiente – por Battlestar Galactica.

Em termos da série em si, os humanos acabaram de sair de uma longa e sangrenta guerra com a sua própria versão de robôs que se revoltaram, os Silicatos, que colaboram com o novo inimigo alien. Existem também os seres humanos gerados artificialmente, os in-vitros que são criados através de uma gestação rápida em tanques até atingirem 18 anos. Um dos principais Wild Cards, Cooper Hawkes, é um destes seres. Tudo sobre os in-vitros foi lidado de forma brilhante: frequentemente eles se parecem com crianças, ainda com raiva de serem tratados como cidadãos de terceira classe ( existe um sentimento de repulsa em relação aos in-vitros pois apesar de terem sido criados para lutarem contra os silicatos, muitos se recusaram a participar do conflito) . Hawkes acaba, de forma relutante, se tornando parte de um time com uma química incrível depois de anos desprezando o contato humano.

Ocasionalmente histórias de batalhas tradicionais são inteligentemente atualizadas para o cenário futurista no espaço: em um episódio os Wildcards enviam um bombardeio inimigo capturado em uma missão surpresa estilo cavalo de Tróia, já que eles acreditam que os Chigs não tem conto equivalente na sua história; de forma similar um piloto Chig se torna uma ameaça aos moldes do Barão Vermelho para o esquadrão.

A fama de Wong e Morgan adquirida com a série Arquivo-X garantiu que a Space:Above and Beyond recebesse uma produção de primeira, com rumores apontando o custo de cada episódio em algo perto de $1 milhão de dólares. Os efeitos especiais podem perder para até mesmo os games atuais – Halo, Star Citizen – mas eles fazem um bom trabalho ao ajudar a contar a estória de forma satisfatória ( e também melhoram depois dos primeiros episódios).

Outra detalhe que ajuda e muito é a continuidade e crescimento dos personagens, logo no piloto vemos a motivação de alguns dos personagens principais, o que os leva a entrar na guerra e podemos ao longo dos 23 episódios ver um amadurecimento real de cada um dos WildCards e de alguns outros a sua volta.

Temos também algumas estórias paralelas a trama principal da guerra, a namorada perdida de Nathan West que foi sequestrada pelos aliens em um ataque a uma nave colonial, a luta de Cooper pela aceitação no grupo, preconceito contra os in-vitros, os silicatos e sua atuação na guerra, entre outras. É um farto conteúdo muito bem distribuido entre os episódios, se você assistiu Battlestar Galactica com certeza terá um deja vu e irá se sentir em casa. Deixei muitos elementos de fora pois do contrário acabaria dando spoilers demais para quem ficou interessado.

E falando em influências e deja vu a série foi claramente influenciada pelo livro Starship Troopers – lembrando a série é de 1995 – que por sua vez exerce uma espécie de força inspiradora também em Starship Troopers, o filme, Battlestar Galactica e Firefly. Cinco temporadas foram planejadas, mas infelizmente, a exemplo de Firefly, só tivemos uma, que foi um lampejo de algo que poderia ter se tornado tão ou mais incrível do que Battlestar Galáctica ( tendo um final plausível e decente já seria suficiente para superar BSG com folga ) .

isscv

transporte ISSCV

Tudo que nos resta agora é esperar que algum dia um futuro executivo da Fox redescubra a série e crie uma espécie de reboot. Para quem quer conhecer o universo de Space:Above and Beyond a série esta disponível na Amazon, mas fique avisado, uma vez apresentado aos Wild Cards o sentimento de ser um órfão ao fim dos 23 episódios da única temporada, é tão desolador quanto aquele que você tem ao terminar de assistir Firefly.

The following two tabs change content below.

Redação GeekZilla

O GeekZilla é formado por profissionais das areas de Tecnologia, Tradução e Letras e Design.Algumas notícias não refletem necessáriamente a opnião do site a não ser quando declarado expressamente as fontes são externas.