Firefly reascendendo a chama, a história de um Cult

Firefly reascendendo a chama, a história de um Cult

A série Firefly foi uma daquelas idéias incríveis que só ocorrem a cada década (vide Babylon 5), mas que sofreu de um grande azar, foi ao ar pela Fox Network um dos piores canais para uma série de ficção…

Bem antes de entrar na questão da Fox vamos mostrar um pouco da série, Firefly é ambientada em um futuro onde após a raça humana tornar o planeta Terra inabitável (Terra Nova Feelings….) é iniciada a colonização de um novo sistema solar com dezenas de planetas e luas ( frase da própria série) .

Mas ao contrario de um mundo com alta tecnologia temos um misto de chefe e western, uma realidade mais “suja” e que acredito ser mais perto de uma possível realidade, pois não importa a quão avançada à tecnologia venha a ser, sempre teremos extremos, pobreza x riqueza, alta tecnologia versus método e modo de viver básico.

Confira este trailer para ter uma idéia do que estamos falando:

E isto é justamente o que dá um certo charme a série, a sensação de realidade e de um mundo vivo, a exemplo de BattleStar Galactica que nos trouxe também uma  ficção onde você tem um ambiente que parece real e não tem aquele estilo comportado e certinho de Star Trek ( sem ofender os fãs da franquia pois também curtimos Star Trek mas acho que vocês entenderam )

Voltando a Firefly a série mostra as aventuras da tripulação da nave de transporte “Serenity”,classe Firefly , e sua tripulação onde temos o capitão, Malcom Reynolds, herói da guerra de unificação que lutou pelo lado perdedor os browcoats, Zoe que foi sua companheira de batalha durante esta guerra, Wash o piloto com talento fora do comum, Jane o brutamontes que sempre é útil durante uma briga, Kaylee a mecânica da nave e Inara a acompanhante (garota de programa legalizada, no futuro é uma profissão de respeito ) .

A tripulação desta peculiar nave de transporte vive de pequenos trabalhos, levando passageiros ou mercadorias entre os planetas deste novo sistema solar, o problema é que nem todos os seus trabalhos são exatamente dentro da lei, ou seja, receita para ótimas cenas de perseguição e situações inusitadas.

No primeiro episódio tivemos o inicio do  grande problema da tripulação da Serenity, Simon e River, dois fugitivos da lei que utilizam a nave de Mal Reynolds para sair do planeta Perséfone.

Eles não estão para brincadeira..

Com este cenário montado tem-se o inicio de uma série de aventuras, nesta série não existe nada pomposo ou em grande escala, temos personagens lutando pelo básico como combustível e comida para o dia seguinte, como apontamos anteriormente, apesar da alta tecnologia os problemas de sempre da humanidade continuam.

Fora a ameaça constante da Aliança que pode a qualquer momento abordar a nave e encontrar River e Simon (que são irmãos) os trabalhos escolhidos pelo Capitão Mal(Malcom) Reynolds nem sempre são exatamente dentro da lei e acabam trazendo ainda mais problemas para a tripulação.

O ponto alto da série a exemplo de BattleStar  Galactica é a construção dos personagens, sendo Mal o mais complexo deles. Ele é um browncoat, lutou contra a aliança durante a guerra de unificação e estando do lado perdedor tem que viver em um universo onde seu antigo inimigo dita as regras e gosta de lembrá-lo constantemente disto.  Mas Mal nunca perdeu o ar desafiador em relação à aliança, como ele deixa claro nas suas palavras para Simon ao aceita-lo como parte da tripulação da nave;

“Ter vocês por aqui é uma alfinetada na aliança…..isso  me diverte um pouco mas também significa que tenho que correr mais rápido do que o de costume e isto inclui evitar vários trabalhos, inclusive os honestos”.

Poderiamos continuar por páginas falando sobre momentos e os demais personagens mas isto tiraria de vocês 50% do que é assistir Firefly.

Já o ponto fraco da série foram alguns episódios com pouca ação e a falta de um inimigo mais definido do que a temida aliança que parece ser mal pelo simples fato de ser mal e para nossos heróis parecerem mais heróicos.  Quem sabe um estilo mais Millennium Falcon, com batalhas no espaço, teria tido ainda mais sucesso do que o formato escolhido por Whedon, que provavelmente optou pelos confrontos no solo no estilo western, também, por questões de orçamento, mas vale novamente notar a natureza mais pessoal da série focada nos seus personagens.

Uma boa comparação seria com Star Trek: A Nova Geração, como contra-partida a impossibilidade de ter efeitos mirabolantes a cada episódio as estórias eram bem trabalhadas e envolventes e Firefly segue esta mesma fórmula em geral.

A família Firefly

Temos também a ameaça secundária dos Reavers, seres humanos com algum tipo de demência nunca explicada durante a série mas que finalmente entendemos ao assistir o filme Serenity ( aliás os Reavers são o ponto chave do filme, ou melhor a sua origem), mas esta ameaça nunca foi muito forte durante a série.

Pequenas falhas a parte Firefly era um sci-fi de respeito com uma grande legião de fans que até hoje apóia a série e torce por sua volta, inúmeras campanhas foram feitas, sem sucesso infelizmente, mas em 2005 Joss Whedon conseguiu realizar o filme Serenity que respondeu várias perguntas que tinham ficado no ar em Firefly.

firefly

Firefly Serenity

Novamente a aliança é a grande ameaça, desta vez na forma de um oficial que tem por missão encontrar River e seu irmão a todo custo, o problema do filme é o mesmo da série, falta de um bom vilão/objetivo a ser perseguido, ainda sim é algo incrível de se assistir, e podemos dizer que pelo número de personagens e o que conteúdo que teve que ser apresentado na tela para quem nunca viu a série, Serenity foi o treinamento de Joss Whedon para escrever/dirigir Os Vingadores.

Tudo bem que tanto Firefly quanto seu filme é uma versão do que seria a vida na Millennium Falcon de Star Wars antes da guerra – ou seja, nada tão emocionante- mas realmente era necessário um algo mais para dar um impulso extra à série.

Infelizmente este impulso nunca veio e aliado a falta de vontade e competência da Fox em fazer um bom marketing para a série, Firefly acabou cancelada, interessante como quase na mesma época BattleStar Galactica conseguiu alcançar um status quase pop, Firefly simplesmente surgiu no momento errado e no canal errado.

Atualmente existem boatos de que agora que Joss Whedon não tem nenhum filme da Marvel na agenda ele teria o poder de trazer a série de volta graças ao prestigio alcançado com a franquia Vingadores, é aquela típica esperança dos fãs, esperança esta que também compartilhamos. Alias faz uns dois anos que durante uma entrevista Joss deu a seguinte declaração:

“Parte de mim está tipo, Deus, seria ótimo fazer isto quando eu terminasse Vingadores 2. Eu tenho uma forte suspeita que depois de Vingadores 2 a próxima coisa que eu irei fazer é uma série de um homem só. Possívelmente um macaco”.

De qualquer forma Firefly deixou saudade entre os geeks, seu estilo independente de qualquer falha era único, mesmo parecendo à primeira vista apenas uma mistura de western com scifi, você tinha aquele “Star Wars Feeling”.

Por fim a série alcançou status Cult no meio geek/scifi/nerd e afins que continuam a sonhar com a volta do seu amado show, referências são feitas a série com certa freqüência, como em Big Bang Theory onde Sheldon reclama porque Rupert Murdoch, dono da Fox, cancelou a série, e pense que são mais de 10 anos desde a estréia do primeiro episodio de uma série com apenas 14.

Esta pequena visão do universo de Firefly é a forma do GeekZilla de reascender a chama, de levar a série a novos meios , porque afinal de contas “Você não pode parar o sinal” ( terão que assistir o filme Serenity para entender esta, sem spoilers pessoal 😉 ).

Mas esperem um pouco, não somos os únicos ! Confiram as versões dos fãs do universo de Firefly em alguns filmes/videos criados por eles:

1- Browcoats Redemption

BROWNCOATS: REDEMPTION acontece 3 meses depois que o sinal com os eventos ao final do filme Serenity é enviado. A capitã Laura Mathews e a tripulaçao da nave Redemption são jogados dentro de uma situação que pode ser o catalizador para o segundo levante unificado dos Independentes contra a aliança desde o dia da unificação.

2- The Bellflower

The Bellflower é uma nave de transporte classe SandFly, que entrega correspondência, suprimentos e notícias para os planetas mais distantes do centro da aliança. A proposta é bem parecida com a de Firefly e certamente menos ambiciosa do que a de Browcoats Redemption. ( Parece também que a intenção é fazer episódios e não um filme completo ).

************************

Claro os atores são todos iniciantes, não espere nada do outro mundo, mas para quem quer matar a saudade do universo da série é uma boa pedida.E para quem quer comprar o box da série a Amazon esta com uma promoção interessante, vejam AQUI

The following two tabs change content below.

Redação GeekZilla

O GeekZilla é formado por profissionais das areas de Tecnologia, Tradução e Letras e Design.Algumas notícias não refletem necessáriamente a opnião do site a não ser quando declarado expressamente as fontes são externas.