5 tradições da Força que são mais interessantes que os Jedi ou Sith

5 tradições da Força que são mais interessantes que os Jedi ou Sith

Normalmente quando se fala sobre a Força dentro do universo de Star Wars existem dois grupos que ganham toda a atenção e reconhecimento do público, os Jedi e os Sith.

Enquanto que eles são os grupos prevalecentes nos filmes (os únicos na verdade) existem várias culturas que são realmente mais interessantes do que o velho “bem contra o mal”. Alguns inclusive possuem habilidades  que nem os Jedi ou Sith utilizam, mas a maioria é simplesmente interessante devido as suas estorias e culturas.

Mas é importante notar que a não ser pelas “Irmãs da Noite”, que foram mostradas na animação Star Wars The Clone Wars, os demais grupos pertecem ao Universo Expandido, agora conhecido como Legends e não fazem mais parte do canone oficial da saga.


Baran Do Sages

Baran Do Sages

.

Os Baran eram um tradição da Força entre os Kel Dor. Até eles serem descobertos pela República e os Jedi, todos os Kel Dor sensíveis a Força eram treinados pelos Baran Do, especializando-se na habilidade de prever o tempo no seu planeta natal.

Os Baran Do podiam prever tempestades com precisão suficiente para o resto do seu povo se preparar.

Com a chegada da República no entanto, tecnologia que podia realizar a mesma tarefa foi levada ao planeta e os Baron Do cairam na obscuridade, lembrados apenas pelos Kel Dor que eram mais tradicionais.

No final das contas esta obscuridade funcionou a favor deles, pois eles sobreviveram ao Grande Purgo Jedi e a caçada subsequente de qualquer grupo usuário da Força. Luke Skywalker mais tarde aprendeu muito com os Baron Do e passou a respeitar a conexão deles com o seu planeta através da Força.


The Nightsisters (As Irmãs da Noite).

.

.

As Irmãs da Noite ganharam merecido destaque na série animada Star Wars: The Clone Wars, sendo parte vital de uma trama envolvendo Asaaj Ventress e até mesmo o Conde Dooku. As Irmãs da Noite não acreditam no bem ou no mal, mas em um balanço das suas duas deidades, com foco em ilusões.

O grupo também não via a Força da mesma maneira que outros grupos. Ao invés eles tinha uma abordagem mais para o lado do Shamanismo, usando seu poder para contatar o reino dos espíritos  e manifestar poderes e habilidades fora da visão normal da Força.

Na série The Clone Wars, as Irmãs da Noite criam até mesmo um exército de mortos-vivos para lutar. O grupo está fortemente ligado a bruxaria e uso de poções e rituais para manifestar habilidades da Força, elas são incrívelmente perigosas de qualquer forma.


The Jensaarai

The Jensaarai

.

Formado por um Jedi que saiu da Ordem depois de ler um manuscrito Sith que afirmava que os Jedi tomaram o seu conhecido dos Sith antes de os exilarem, os Jensaarai tiveram um começo díficil.

Eles foram caçados pela Ordem Jedi, depois pelo Império durante o Grande Purgo Jedi e foram usados como assassinos por piratas até que conheceram o Grande Mestre Luke Skywalker e aprenderam que a sua visão da galáxia foi distorcida.

Depois da morte do seu fundador,  Nikkos Tyris, nas mãos dos Jedi, os Jensaarai mudaram de rumo drasticamente pois não eram mais direcionados ao Lado Negro da Força pelo seu antigo líder. Usando os seus limitados conhecimentos da Força, eles combinaram os ensinamentos dos Sith e Jedi de maneiras únicas.

A mais notável era a habilidade de esconder sua presença na Força, tornando-os invísiveis para os seus caçadores, como Darth Vader. Eles também concentravam suas habilidades na criação de armaduras inspiradas nos Sith e que eram capazes de protege-los contra sabres de luz.

Por fim eles receberam o conhecimento maior da Força do Grande Mestre Luke Skywalker compartilhando o seu amor por justiça com seus novos companheiros Jedi.


Imperial Knights (Cavaleiros Imperiais)

.

.

Parte do Império Fel, os Cavaleiros Imperiais exisistiram 100 anos antes da queda do Imperador Palpatine e seu Império. Este grupo tinha dois propósitos.

O primeiro era proteger o seu Imperador, um tarefa para a qual eles eram mais do que capazes, sendo bem treinados na Força mas com uma perspectiva focada no combate. O segundo propósito era caso o Imperador cedesse ao Lado Negro da Força eles deveriam matá-lo ou traze-lo de volta para a luz.

É uma notável diferença de outros impérios, que eram geralmente controlados por usuários do Lado Negro da Força.

Os Cavaleiros Imperiais, assim com os Jensaarai, utilizavam armaduras para se protegerem e utilizavam sabres de luz como armas principais, embora seus sabres tinha todos a cor branca, colocando menos enfâse na individualidade da arma.


Aing-Tii

.

.

Os Aing-Tii são talvez a mais diferente das tradições da Força. Enquanto que a maioria vê a Força como preto ou branco, bem e o mal, os Aing-Tii veem a força como uma multitude de cores. Para eles a Força tem vários aspectos diferentes cada um com seus pontos fortes.

Este grupo também era uma raça avançada tecnologicamente, usando uma combinação de tecnologia e a Força, o que os tornava incrívelmente perigosos em combate. Com isto eles caçavam piratas e comerciantes de escravos perto do seu planeta natal, mostrando um grande senso de moralidade e justiça.

A sua habilidade mais notável vem na forma da Dobra Espacial. Os Aing-Tii podiam usar a força para criar um buraco de minhoca em pequena escala e mover um objeto a qualquer distância. Este objeto poderia ser qualquer coisa, um pessoa ou uma nave massiva, dando ao grupo uma grande vantagem em relação a aqueles usando hyperdrives para viajar grandes distâncias.


Existem vários outros grupos, mas estes foram os que nos chamaram mais atenção, seria interessante vê-los de volta ao canône de Star Wars, mas é provável que se os vermos será na série Star Wars Rebels, um filme teria que desviar muito da sua trama principal para explicar qualquer um destes grupos para o público.

The following two tabs change content below.

Redação GeekZilla

O GeekZilla é formado por profissionais das areas de Tecnologia, Tradução e Letras e Design.Algumas notícias não refletem necessáriamente a opnião do site a não ser quando declarado expressamente as fontes são externas.